Avaliação do sêmen

9 de março de 2017

Análise seminal deve ser aliada aos diagnósticos hormonais e clínico

É por meio de uma análise do sêmen do homem que o médico pode diagnosticar algum problema com o espermatozoide, seja ele de quantidade ou qualidade. Esse exame, aliado aos diagnósticos hormonais e clínico, pode identificar a causa de infertilidade dele.

Na avaliação seminal, o espermatozoide será analisado por meio do espermograma e pelo processamento seminal. Essa análise define qual a quantidade de espermatozoides por ml de sêmen, as características (cauda, diâmetro da cabeça etc.) e como ele se movimenta.

O homem que têm problemas de fertilidade pode apresentar normalidade na quantidade de espermatozoides, mas algum problema quanto à qualidade.

Além dos exames, outros fatores devem ser levados em consideração. Para um casal ser considerado com problema de fertilidade, ele tem que realizado pelo menos um ano de tentativas frequentes de gravidez, sem sucesso (seis meses para o caso de mulheres mais velhas). Esse conjunto que inclui histórico médico, avaliação física e análise seminal pode dar o diagnóstico de infertilidade de um homem que está tentando engravidar a parceira, mas encontra dificuldades.

Parâmetros

Espermogramas com resultados inferiores a 15 milhões de espermatozoides por ml de sêmen são considerados com alguma anormalidade, segundo o presidente da SBU.

Quanto às características, tecnicamente chamadas de morfologia estrita, diagnósticos com alterações são aqueles que identificam 4% ou menos de espermatozoides com boa morfologia estrita por ml de sêmen.

Postado em Destaques por Carla Santana | Tags: ,